Categorias
Remédios Contra COVID-19

Firazyr [Icatibant] : O remédio secreto dos ricos e famosos contra o COVID-19?

Atores famosos são diagnosticados com COVID-19 e, poucos dias depois, ressurgem com perfeita saúde, gravando lives para as redes sociais.

Figuras públicas correm para hospitais com falta de ar e, após alguns dias, aparecem totalmente curadas do COVID-19.

Ricos e poderosos saberiam algo que nós, meros mortais, não sabemos sobre a cura do COVID-19?

Tudo indica que sim.

Neste artigo apresentamos um possível “remédio secreto” que os ricos e famosos utilizam contra o COVID-19.

Seu nome é Firazyr. (Anote esse nome, porque possivelmente ouvirá falar muito nele nos próximos meses.)

Sem ingressar na seara das teorias conspiratórias, vejamos por que me refiro a esse medicamento como o remédio secreto.

A base científica que apresento aqui é bastante sólida. São referências científicas confiáveis, e resultados obtidos ao longo de várias décadas.

Com base nessas referências, no decorrer deste artigo você irá entender porque o Firazyr, também conhecido por Icatibant ou Hoe 140, é um segredo (muito mal guardado) dos ricos e famosos na luta contra o COVID-19.

Prontos? Então, vamos lá!

Há algum tempo já se sabia que o COVID-19 “atacava” o receptor ACE2. Essa enzima pode ser encontrada em vários órgãos, entre eles os pulmões, coração e rins.

Não coincidentemente, são três órgãos muito frequentemente danificados pelo COVID-19. Porém, há detalhes que os médicos, até recentemente, não conseguiam explicar, conforme veremos a seguir.

Holanda em Cena

Com a publicação de uma pesquisa da Universidade de Radboud, na Holanda, um dos aspectos mais intrigantes do COVID-19 começa a ficar mais claro.

Por que o vírus é tão agressivo nos pulmões, ocasionando o sufocamento do paciente em tão pouco tempo?

A teoria de que o COVID-19 mata os pacientes devido a problemas vasculares avança com força dessa vez.

Neste artigo abordaremos o porquê da pesquisa de Radboud ser um grande salto no combate ao coronavírus.

Fases do COVID-19

Os casos graves de COVID-19 têm 3 fases bem marcadas:

1) Falta de ar devido a líquido nos pulmões;

2) Inflamação dos pulmões;

3) Desenvolvimento de trombose e cicatrizes nos pulmões devido ao líquido.

Só que há algo muito intrigante ocorre na primeira fase.

Líquido nos Pulmões

Os médicos não conseguem explicar por que, logo de início, a infecção dos pulmões os preenche de líquido tão rapidamente.

Segundo pesquisadores de Radboud explicam, a infecção por si só não é suficiente para gerar tanto líquido em tão pouco tempo dentro dos pulmões.

relatos de diversos pacientes que se encontravam em casa e de repente sentiram uma intensa falta de ar.

A agressividade do coronavírus no preenchimento de líquido nos pulmões vem intrigando os médicos há mais de uma década. A SARS, que também é causada por coronavírus, também possuía esse comportamento que nunca foi explicado : o súbito preenchimento dos pulmões com líquido.

Procura-se: ACE2

Aqui surge o grande salto oriundo da pesquisa realizada na Holanda, que pode oferecer uma explicação para o preenchimento de líquido dos pulmões infectados com COVID-19 e SARS.

Sabe-se que o vírus COVID-19 ingressa nos pulmões por meio do receptor ACE2, que é uma enzima encontrada em diversos órgãos humanos.

Quando há infecção grave por COVID-19, os receptores ACE2 desaparecem! Na literatura técnica, afirma-se que os receptores foram “modulados”, ou tiveram sua eficácia muito reduzida.

O ACE2 é responsável por regular a pressão arterial, por exemplo. Daí o porquê do COVID-19 ser muito perigoso em hipertensos.

O receptor ACE2 também regula, também, a bradicinina do corpo.

Vilão: Bradicinina

Molécula de Bradicinina

A bradicinina é um vasodilatador e permeabilizador dos vasos.

Curiosamente, a descoberta da bradicinina foi realizada por pesquisadores brasileiros, na USP.

Quando o COVID-19 modula os efeitos da ACE2, a produção de bradicinina aumenta e faz com que as células liberem grande quantidade de líquido dentro dos pulmões.

Dados Chineses

De fato pesquisadores da China afirmaram que os pulmões dos mortos por COVID-19 estavam “encharcados” com “muco” ou algum “líquido viscoso”.

Com essa constatação, explicavam por que os pacientes pareciam sufocar vivos, buscando ar sem conseguir.

Os pulmões das primeiras vítimas fatais que passaram por necropsia em Wuhan estavam totalmente tomados por esse líquido. Esse fato intrigou bastante os médicos legistas chineses.

Antecipando-se ao COVID-19

De posse dessa informação, o tratamento da COVID-19 deve mudar completamente de foco.

As atenções deixam de ser dedicadas ao tratamento da inflamação, e passam para o estágio anterior – antes que a bradicinina fuja do controle e preencha os pulmões com líquido.

Os médicos parecem estar chegando mais e mais perto da real mecânica do COVID-19, e tudo indica que poderão antecipar-se ao vírus antes que cause seu estrago nos pulmões dos pacientes.

A próxima etapa das pesquisas passa a ser a busca por um mecanismo de controle da bradicinina sob ataque do COVID-19. A encontrar-se esse agente, os pulmões, rins e coração podem ser poupados e o sistema imune ganha precioso tempo para combater o vírus invasor.

Quais remédios temos em vista para essa missão?

Felizmente, já temos um candidato : Icatibant, que é comercializado sob a marca Firazyr.

Icatibant ao Resgate?

Enfim, chegamos ao Firazyr.

O remédio Icatibant, nome genérico do Firazyr, é inibidor do vilão que faz com que os pulmões sejam preenchidos de líquido na primeira fase do agravamento do COVID-19.

Trata-se de um antagonista dos receptores B2 da bradicinina.

Os primeiros estudos indicando que o icatibant (também conhecido por Hoe 140) era antagonista da bradicinina foram publicados há cerca de 20 anos. Portanto, trata-se de um efeito bastante conhecido dessa medicação.

Médicos estão agora estudando como testar esse inibidor em casos de COVID-19, poupando assim os pulmões. Essa, é claro, é a versão que nós sabemos até agora – o Icatibant estaria entrando em fases de testes.

Caso funcione, pode ser o maior avanço no combate ao coronavírus até aqui.

Só há um problema.

Cada injeção de Firazyr custa U$ 9000 (R$ 46 mil) em média.

O sistema de saúde da maioria dos países do mundo não possui recursos suficientes para adquirir essa droga em grandes quantidades.

Resultado?

Somente um seleto grupo de pessoas pode ter acesso ao remédio que pode combater, de forma efetiva, nosso atual inimigo número 1.

Referências

Notícia da Pesquisa de Radboud, Holanda

COVID-19, ACE2 and Cardiovascular Consequences

Relação entre Ibuprofeno, iECA (ACE2), BRA e o COVID-19

Primeiras necropsias mostram como COVID-19 atacam pulmões

ACE2 variants underlie interindividual variability and susceptibility to COVID-19 in Italian population

Bradicinina – Wikipedia

Aspectos Históricos da Hipertensão

Icatibant no NIH – National Institute of Health

Icatibant no Drugbank (Canadá)

Site Oficial do Firazyr

Icatibant no São Paulo Medical Journal

Experiência com Icatibant em Crises Graves

Icatibant – Wikipedia

Dados Técnicos do Firazyr (Icatibant Injetável)

 

 

Por Corona da Real

Corona da Real é o pseudônimo de um curioso que decidiu compartilhar o que aprendeu sobre o coronavírus desde Janeiro de 2020, quando passou a acompanhar notícias sobre a epidemia.

Nada neste site deve ser encarado como recomendação médica. Consulte seu médico em caso de dúvidas.

Não faça auto-medicação sob qualquer circunstância! Caso sinta sintomas da COVID19 procure imediatamente um hospital ou orientação profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *