Categorias
Perguntas e Respostas

Só quem apresenta sintomas deve usar máscara?

Essa foi a recomendação oficial das autoridades brasileiras e da OMS: somente os sintomáticos devem usar máscaras para evitar espalhar gotículas que podem estar infectadas.

Na minha opinião essa foi uma das piores orientações oferecidas ao público. Neste artigo procuro explicar por que.

OMS

Todos os equívocos cometidos na pandemia do COVID-19 parecem ter origem na OMS. Não concordo com aqueles que ofendem o diretor da OMS nas redes sociais, nem com o FlaFlu político que se iniciou em torno do assunto.

Mas a verdade seja dita, que a OMS errou demais, errou.

Sobre o uso de máscaras, a OMS recomenda que:

  • Se você está saudável, use máscara para proteger alguém próximo que possa estar contaminada com COVID19;
  • Use máscara se estiver tossindo ou espirrando;

Como pode ver, o uso da máscara é recomendado apenas em casos onde você é portador do COVID-19 ou é forte candidato.

Essa orientação gera a percepção de que a pessoa que usa máscara em público está contaminada ou é forte candidato a estar.

Estigmatização Desnecessária

Essa política gerou forte preconceito social contra as máscaras no ocidente, em especial na Europa e nas Américas.

A pessoa que chega a um local de máscara é vista como ameaça a todos no local.

Se apenas os doentes usam máscaras, então ao ver alguém de máscara nas ruas, as pessoas automaticamente se sentem desconfortáveis.

É importante manter a distância de outras pessoas, isso é fato.

Porém a política de recomendar o uso de máscaras apenas aos enfermos estigmatizou esse poderoso aliado no combate ao coronavírus.

Ásia

Compare o que se vê na Ásia, onde conseguiram conter o vírus com muito mais eficácia que no ocidente!

No Japão, Singapura, China, Coréia do Sul e outros países da região, o uso de máscara é socialmente aceito.

Todos usam, até mesmo quando não há qualquer ameaça no ar.

O uso de máscara é visto como um sinal de respeito ao próximo e também de auto-proteção.

Toques ao Rosto

Outra situação onde a máscara ajuda muito é no combate ao hábito de tocar o próprio rosto.

Experimente usar uma máscara, pano, ou algum outro obstáculo no rosto durante alguns instantes. Você notará que tentou, sem querer, tocar o nariz ou outra parte do rosto e não conseguiu! Fazemos isso toda hora sem perceber. Ao colocar um obstáculo na face, você passa a notar o quão frequentemente tocava a região.

A máscara te torna consciente de toda tentativa de tocar no próprio rosto. Ao acostumar-se a usá-la, rapidamente desenvolverá um novo costume. A mão irá menos vezes em direção da face, e você notará imediatamente quando começar o movimento.

Quem possui esse hábito sente impulsos nervosos para tocar o nariz ou os olhos quando é impedido.

Note quando alguém te avisa para não tocar o rosto, esse é o exato momento em que o nariz começa a dar aquela coceirinha!

Isso é um reflexo nervoso acima de tudo, que você pode aprender a desaprender com a força do hábito.

E a máscara é sua aliada nisso.

Falsa Proteção

Fora a questão de higiene pública e de hábitos, não há muito mais no que a máscara vá te ajudar, a não ser que seja de natureza especial, visando a filtragem de nanopartículas.

Inclusive, a máscara não impede a pessoa infectada de espalhar carga viral durante a respiração.

O coronavírus tem algo em torno de 120 nanometros de diâmetro.

Portanto, milhares de vírus passam facilmente pelo tecido das máscaras mais comuns no mercado.

Imagine um pequeno mosquito passando por uma tela de cerca de jardim, a proporção do tamanho do vírus para os poros do tecido é semelhante.

Para filtrar o vírus, os poros têm que ser nanometricos, ou deve haver um elemento de filtragem especial (máscaras especiais usadas em laboratório).

Ou seja, a máscara comum que vemos por aí não te protege contra o contágio via aerosol (“spray” de vírus flutuando no ar).

A máscara comum apenas ajuda a não depositar carga viral no piso, nos corremãos, nas maçanetas e outros locais onde possa vir a tocar.

Conclusão

O uso de máscara é, acima de tudo, uma questão de respeito ao próximo.

Em breve, os governos do ocidente deverão reverter a equivocada orientação de que apenas os doentes devem usar máscaras.

Todos devem usá-las. Assim abaixará ainda mais a taxa de contágio.

Crédito da foto em destaque: Maya-Anaïs Y.

Por Corona da Real

Corona da Real é o pseudônimo de um curioso que decidiu compartilhar o que aprendeu sobre o coronavírus desde Janeiro de 2020, quando passou a acompanhar notícias sobre a epidemia.

Nada neste site deve ser encarado como recomendação médica. Consulte seu médico em caso de dúvidas.

Não faça auto-medicação sob qualquer circunstância! Caso sinta sintomas da COVID19 procure imediatamente um hospital ou orientação profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *