Categorias
COVID19 CoronaVírus Testes

Tudo o que você precisa saber sobre testes de COVID-19

Certamente, ao procurar saber mais sobre testes de COVID-19, você já se deparou com termos técnicos do tipo sensibilidade e especificidade? Viu imagens de pessoas tendo saliva e muco coletado nos hospitais?

Neste artigo farei um resumo bem simples do que esses termos significam, quais tipos de testes estão sendo realizados e o que podemos esperar dos resultados obtidos em cada caso.

Também daremos uma olhada específica nos testes que estão sendo usados para diagnóstico do COVID-19, incluindo dados de especificidade e sensibilidade para cada um.

Este texto, que é propositalmente básico e de caráter introdutório, foca apenas nos vírus, dado o interesse da população em informações sobre o COVID-19. Médicos e outros profissionais da saúde talvez queiram apenas conferir as referências apresentadas ao fim do artigo, onde o material mais técnico pode ser encontrado.

Diversos conceitos aqui apresentados se aplicam também a testes de outras patologias, incluindo aquelas causadas por bactérias, protozoários e assim por diante. Focamos no COVID-19 porque é o assunto mais importante no momento, o que não significa que esses conceitos não sejam úteis em outros contextos.

Vamos lá!

Sensibilidade

A sensibilidade, conforme o nome sugere, é a capacidade do teste detectar a presença do vírus.

A pergunta que a sensibilidade responde é o quão sensível é o reagente que vai indicar se o vírus está presente ou não?

Um teste com alta sensibilidade tem baixa probabilidade de acusar que a pessoa não tem o vírus, sendo que ela tem.

Essa conclusão é bem intuitiva: se o teste é muito sensível à presença do vírus, então ele vai reagir mesmo quando pouquíssima quantidade do vírus estiver presente.

Especificidade

Especificidade é o outro lado da moeda.

O termo deriva da capacidade ser específico.

Especificidade é a capacidade do teste de detectar exatamente aquele vírus que se está investigando.

Quando realizamos testes de laboratórios, simplesmente imaginamos que a tecnologia evoluiu a tal ponto que a detecção de um patogênico é perfeita.

Apesar dos avanços nessa área, e do Brasil possuir várias instituições de renome realizando pesquisas laboratoriais, os testes estão longe de serem perfeitos.

A pergunta que a especificidade responde é: o quão específico é o reagente que indica a presença do vírus?

Se um reagente acusa positivo na presença de 200 vírus distintos, então ele não é específico. É um teste que pode ser útil, pois acusa uma infecção viral qualquer.

Quando um outro reagente  só acusa positivo na presença de um vírus específico, esse reagente possui alto grau de especificidade. Ou seja, o médico terá grande confiança que o paciente realmente está infectado por um vírus específico.

Um teste com alta especificidade tem baixa probabilidade de acusar que a pessoa tem o vírus, sendo que ela não tem.

Sensibilidade x Especificidade

Um teste com 100% de sensibilidade nunca mente quando diz que o paciente não tem o vírus.

Um teste com 100% de especificidade nunca mente quando diz que o paciente tem o vírus.

Testes de COVID-19

Como você pode deduzir, os testes que o mundo inteiro está usando para detectar COVID-19 não possuem 100% de sensibilidade ou especificidade, haja vista que casos de resultados equivocados já foram documentados na imprensa.

Via de regra: quanto mais rápido o teste, menos sensível ele tende a ser

Nem sempre essa regra se aplica mas, para fins gerais é um bom ponto de partida. Ou seja, o teste muito rápido pode dizer que a pessoa está bem quando ela está infectada.

Quais são os níveis de sensibilidade e especificidade dos testes que estamos usando para detectar o COVID-19?

Existem 4 tipos de testes que estão sendo usados para diagnosticar COVID-19:

  • Teste de Imagem
  • Exame Sorológico
  • Teste INAA
  • Teste RT-PCR

Vamos dar uma breve olhada em cada tipo de teste?

Teste de Imagem

Conforme o nome sugere, o teste de imagem envolve algum exame capaz de reproduzir graficamente a situação dos órgãos internos. O tipo mais empregado atualmente é a tomografia computadorizada.

Neste tipo de teste a especificidade e sensibilidade dependem inteiramente do médico que irá elaborar o laudo e aquele que irá interpretá-lo.

O teste de imagem tende a ser bastante sensível, porque o médico saberá se há algum dano nos pulmões, coração e rins, porém tende a ser pouco específico, haja vista que várias doenças podem causar esses danos.

No teste de imagem o médico irá analisar o histórico do paciente, comorbidades, histórico familiar e assim por diante.

Exame Sorológico

Esse é o teste que conhecemos popularmente por exame de sangue.

O teste de sorologia envolve a coleta de sangue e análise de sua composição.

O exame sorológico dá um panorama completo sobre a situação do paciente, por isso é o mais utilizado logo na admissão ao hospital.

No teste de COVID-19 procuram-se anticorpos presentes no sangue. Caso existam, então a pessoa já esteve infectada com o coronavírus. Esse teste é muito importante para saber qual porcentagem da população pode ter sido imunizada. Também é importante acompanhar aqueles que apresentaram anticorpos para realizar novos testes no futuro, visando entender quanto tempo esses anticorpos permanecem no sangue. Assim, seria possível estimar o risco de haver reinfecção.

Testes de sorologia aplicados na China tinham 95.6% de especificidade e 93.8% de sensibilidade.

Resumindo o exame sorológico:

No exame de sangue há 4,4% de chance do teste acusar que tem o virus, sendo que não tem.

E 6,2% de chances de dizer que a pessoa está bem, sendo que ela está infectada.

Como se pode ver, é um teste muito específico e muito sensível, portanto uma ótima forma de se testar. O problema é que o exame de sangue possui custo mais elevado que outros testes e também impõe uma logística mais complexa que outros testes.

Teste INAA

O teste INAA não é um teste aberto. Trata-se de uma patente do laboratório Abbott, o qual citei aqui apenas para fins de completude do artigo.

O resultado do teste de INAA (Isothermal Nucleic Acid Amplification) sai em 5 minutos e é aplicado com um pequeno aparelho manual que pode ser facilmente transportado a qualquer local.

Os dados de especificidade e sensibilidade do teste não são conhecidos.

Teste RT-PCR

Deixamos para o fim aquele que é o teste mais usado na detecção do COVID-19. Neste tipo de teste o examinador coleta mucosa do paciente inserindo um bastonete no nariz e na garganta. (A imagem no início deste artigo mostra a coleta da amostra usada no teste RT-PCR.)

A amostra é enviada para um laboratório e o resultado pode levar desde algumas horas até 2 a 3 dias para ser obtido.

Até meados de Março de 2020, o teste RT-PCR era usado apenas em casos sintomáticos que progrediam para o estado grave.

O RT-PCR foi desenvolvido em 1983, portanto é uma tecnologia bastante testada e comprovada.

A sigla RT-PCR, em inglês, pode ser traduzida como o seguinte: reação da transcriptase reversa, seguida de reação em cadeia da polimerase.

O detalhamento do procedimento de exame pode ser conferido aqui.

De acordo com a FDA, a sensibilidade do RT-PCR para COVID-19 é superior a 95%, e tem 100% especificidade.

Isso significa que o teste RT-PCR tem 5% de chances de liberar o paciente, sendo que ele tem o vírus. E zero possibilidade de acusar o vírus sendo que o paciente não foi infectado.

Por isso se diz que o teste RT-PCR erra apenas nos resultados negativos. O resultado positivo possui zero chances de ser falso, segundo estudo da FDA.

RT-PCR x H1N1

Para fins de comparação, na detecção da gripe H1N1, o RT-PCR possui sensibilidade de 99,11% e especificidade de 83,78%.

Outros Tipos de Testes

O site Coronavirus Today apresenta um elenco de dezenas de testes sendo desenvolvidos por inúmeros laboratórios privados.

Em sua grande maioria não são testes de padrão aberto, portanto deixo aqui o link para quem se interessar em saber mais.

Conclusão

Espero que este artigo tenha sido útil para explicar os vários tipos de testes de COVID-19 e os parâmetros que utilizamos para aferir sua eficácia.

Se você acha que essa informação pode ser útil para outras pessoas, não deixe de compartilhar em mensagens com amigos e nas redes sociais!

Referências

Entendendo testes diagnósticos

COVID-19 Testing. What are your chances?

COVID-19 Diagnostics Explained Read more from Asian Scientist

Interpretação de um Teste sob a Visão Epidemiológica. Eficiência de um Teste

Teste rápido da Covid-19: falsos negativos

Covid-19: Novos testes rápidos podem apresentar até 75% de erro, segundo o Ministério

 Avaliação de Testes Diagnósticos UFG

Availação de Testes de Diagnóstico USP

ACR Recommendations for the use of Chest Radiography and Computed Tomography (CT) for Suspected COVID-19 Infection

Serology-based tests for COVID-19

Pharma giant Abbott launches Covid test that delivers result in 5 minutes

ACCELERATED EMERGENCY USE AUTHORIZATION (EUA) SUMMARY COVID-19 RT-PCR TEST (LABORATORY CORPORATION OF AMERICA)

A validation study comparing the sensitivity and specificity of the new Dr. KSU H1N1 RT-PCR kit with real-time RT-PCR for diagnosing influenza A (H1N1)

Crédito da imagem em destaque: Raimond Spekking / CC BY-SA 4.0 (via Wikimedia Commons)

Por Corona da Real

Corona da Real é o pseudônimo de um curioso que decidiu compartilhar o que aprendeu sobre o coronavírus desde Janeiro de 2020, quando passou a acompanhar notícias sobre a epidemia.

Nada neste site deve ser encarado como recomendação médica. Consulte seu médico em caso de dúvidas.

Não faça auto-medicação sob qualquer circunstância! Caso sinta sintomas da COVID19 procure imediatamente um hospital ou orientação profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *